sábado, 3 de julho de 2010

"Trilogia da Ausência" estréia no Teatro Gamboa




Em comemoração ao aniversário do Teatro Gamboa, estréia em Salvador "A Trilogia da Ausência", monólogos adaptados de contos de Marcelino Freire e Caio Fernando Abreu, concebida e interpretada pelo ator paulista Rodolfo Lima, no Teatro Gamboa Nova (Largo dos Aflitos), 1º de julho, às 20 horas, com ingressos a R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). E realiza temporada em julho de quinta a sábado.

Bicha Oca

Quando: 01 a 29/07 (quinta-feira)

Na quinta sobe ao palco Bicha Oca, baseado nos contos homoeróticos de Freire, que discute a sexualidade a partir de textos literários. Em cena, um homossexual retrógrado e solitário questiona os hábitos atuais dos gays e a importância d
e manifestações da militância LGBT. O título da peça não é meramente ilustrativo, num trecho do conto a personagem diz: “Bicha devia nascer sem coração. É, devia. Oca.(...) Bicha devia nascer vazia”. O que corrobora com a visão de esvaziamento das relações, a fugacidade dos encontros e a necessidade – inevitável – da busca por um parceiro. Os escritos de Freire trazem uma visão urbana e atual do comportamento dos homossexuais e revela de forma contundente e poética situações e experiências da comunidade. A montagem conta com a participação especial do ator baiano Saulo Moreira.

Todas as Horas do Fim

Quando: 02 a 30/07 (sexta-feira)


Todas as Horas do Fim
, em cartaz as sextas, é livremente inspirado em Linda, uma história horrível escrito por Caio Fernando Abreu na década de 1980 e considerada o primeiro conto brasileiro a abordar o vírus HIV. Na adaptação de Lima, um homem volta para casa, depois da morte do namorado, para (re)ver e (con)viver com a mãe que não encontra há muito tempo. A peça é sobre o confronto dessas duas pessoas e suas si
ngularidades. Como em outros trabalhos de Lima, Todas as Horas do Fim é um recorte da obra do autor com fragmentos de outros textos.

Réquiem para um Rapaz Triste

Quando: 03 a 31/07 (sábado)


Aos sábados, o público confere Réquiem para um rapaz triste, trabalho inspirado nas personagens femininas do autor gaúcho Fernando Abreu. A personagem Alice, uma quarentona
solitária e dependente do cigarro, recebe as pessoas em sua casa para conversar sobre suas escolhas, o papel da mulher na sociedade atual e anseios femininos como filhos, casamento e a espera do homem ideal. Assim, suas visitas são convidadas a rever as escolhas da vida a partir da ótica daquela mulher de meia idade. Mesmo com o ar melancólico e depressivo que a encenação sugere, a personagem acaba sendo esperançosa em relação ao futuro.



Horário: 20 horas
Onde:
Teatro Gamboa Nova

Valor:
R$10 e R$5 (meia)

Classificação:
18 anos

Informações:
(71) 3329-2418

2 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget