quinta-feira, 20 de agosto de 2009

15 minutos, e mais um pouco de Fama

Quando um artista é bem sucedido em determinada modalidade, ele acaba recebendo uma credibilidade por esse feito, uma espécie é reputação, um reconhecimento na sociedade, a Fama. Segundo o Dicionário Aurélio, fama significa: “Opinião geral sobre a excelência de alguém; renome, nomeada, nome, celebridade, notoriedade”. Daí tira-se uma idéia do que seja a tal fama, tanto desejada pelos famosos, ou até por pessoas comuns.
Especialmente entre os famosos, alguns deles conseguem manter essa fama, outros não, ficam tendo seus “15 minutos de fama”. Um reconhecimento temporário. Normalmente fazem sucesso com duas ou três músicas, no caso dos cantores, onde todos querem ouvir, querem ir aos shows, indo a programas de TV e tal, sendo bem reconhecidos. Tempo depois, esses sucessos acabam ficando monótonos, e esses artistas vão saindo da mídia, tentam cria novos sucessos, mas não conseguem, e conseqüentemente perdem a fama.
Mas, mesmo que esses artistas não consigam embalar novos sucessos, e perdendo a sua fama, sempre ficaram reconhecidos pelos seus sucessos antigos, logo, surge o movimento trash, onde são pessoas quem curtiram esses sucessos, ou novas pessoas quem acham interessante esse tipo de música, e se reúnem pra curtir e relembrar. Como exemplo, temos uma festa quem acontece em São Paulo, em uma casa noturna no bairro de Vila Olímpia, a Trash Mania, que foi documentada pela Carta Capital, onde na noite seria apresentada a “rainha do rebolado”, Gretchen. Ela é um exemplo vivo de que mesmo perdendo a fama, ainda se consegue, nem que seja mais um pouquinho de reconhecimento, mesmo que seja para um publico menor. Embalando sucessos como “melo do piripiri” e “Conga, la conga”, Gretchen ficou muito famosa na década de 80, onde ninguém ficava parado quando uma dessas músicas, ou a cantora subia no palco. Só quem hoje não é muito diferente. Nessa festa trash, pessoas com cabelos chamativos, mulheres com roupas bem ousadas e pequenas, e homens no estilo “Elvis”, deixando extrapolar o “ridículo” com muita graça e diversão, cantam, gritam, e dançam, celebrando a “volta” dos anos 80. Mostrando assim, que mesmo que um artista tenha perdido a fama para o público geral, sempre terão algumas pessoas quem lembraram e se divertiram com esses sucessos.


_____________________________
Universidade Federal da Bahia
Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Prof. Milton Santos
Trabalho sobre Dança - Ação Artistica
10 de maio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget